Grönlund-Nisunen

DAN_EXPO_NOV_14

Helsinque, Finlândia, 1990

“As obras de Grönlund-Nisunen freqüentemente acontecem em algum lugar entre o estático e o temporal. Essa é uma forma de dizer que sua prática participa da passagem da escultura à poesia. E por poesia quero dizer – sejamos claros – que a obra de Grönlund-Nisunen é nada menos que representações de ações no tempo, ações que pressupõem mudanças. Na verdade, são nessas mudanças que muitas de suas obras consistem e tratam. Mencionar pessoas como Hertz e os Curries neste contexto sugere uma outra comparação histórica, nomeadamente aquela entre laboratório e estúdio. Isso não quer dizer, entretanto, que as obras de arte devam ser vistas como análogas às obras de ciência. Em vez disso, que existem semelhanças no trabalho envolvido em qualquer forma de experimentação. Os estudos dos artistas de fenômenos temporais, digamos, ondas ou um brilho, muitas vezes enfocam uma maneira particular de mostrar, não explicar. Assim, arte como a de Grönlund-Nisunen ilustra a temporalidade como se por meio de um arranjo subjetivo, de modo que cada processo ou descoberta se atualiza apenas por meio de uma instalação específica ”.

“Jyki Siukonen,“ the Poetic of Line, Field and Circle ”, 2009


Exposição “Linha Atemporal”

Exposição “Linha Atemporal”


Exposição “Linha Atemporal” na Dan Galeria com texto curatorial de Paula Braga.