Bruxelas, Bélgica, 1997

“LAb [au] é um grupo de artistas localizado em Bruxelas, ativo desde 1996. Suas obras compartilham características com a arte conceitual, a arte do sistema e a arte concreta – por meio da atualização com materiais, técnicas e formatos contemporâneos. Têm forte tendência para uma linguagem reducionista, serial e elementar, que se manifesta no uso da cor, da geometria, da luz e do movimento. Eles questionam a estética contemporânea, confrontando-os com a lógica algorítmica.

(…)

A leitura dos projetos de LAb [au] segundo modalidades segue e expressa a forma como a obra se estruturou ao longo dos últimos 18 anos de prática artística. Esses modos se cristalizaram tanto da pesquisa – teórica, experimental e visual – quanto da realização física de projetos. Esses dois aspectos estão presentes no nome do estúdio, combinando a pronúncia fonética, lab como local de pesquisa, com a palavra alemã bau, que significa construção. Além disso, reflete a origem do estúdio como um escritório de arquitetura e a influência ainda presente no trabalho de design de hoje. Esta pesquisa espacial permanece central e é incorporada em formatos como instalações de arte e integrações arquitetônicas.

LAb [au] é conhecido principalmente por suas instalações, embora sejam preditivas e ampliadas nos últimos cinco anos para incluir objetos de arte e integrações. Como tal, eles têm estendido sua prática de obras de arte autocomissionadas àquelas encomendadas para espaços públicos ou semipúblicos. As instalações são o formato mais comprovado. Normalmente são apresentados no âmbito de um festival ou de exposições temporárias institucionais. Eles são frequentemente exibidos em locais com significado histórico ou simbólico. As integrações são obras de arte permanentes provenientes de encomendas ou concursos de arte em espaços públicos e semipúblicos. Esses projetos são projetados especificamente para o contexto e são definidos por uma forte marca arquitetônica. Lá o foco principal é integrar a proposta artística ao quadro espacial e contextual, sugerindo uma sinergia entre arte e arquitetura. ”

LAb [au], catálogo da exposição “rouge, vert, bleu, blanc”, 2015


Exposição “Linha Atemporal”

Exposição “Linha Atemporal”


Exposição “Linha Atemporal” na Dan Galeria com texto curatorial de Paula Braga.


Exposição "Linha, Cor e Movimento"

Exposição "Linha, Cor e Movimento"


Apresentamos Linha, Cor e Movimento. A nova exposição online de acervo da Dan Galeria.